Galeria Trapiche oferece oficinas e marca presença no carnaval

oficina galeria trapiche

A Galeria Trapiche Santo Ângelo se encontra, atualmente, vinculada à Fundação Municipal de Cultura – FUNC, e é responsável pela realização do Salão de Artes Visuais de São Luís. Mesmo ainda não contando com recursos, em face da situação caótica deixada pela antiga administração da Func, a galeria se adianta e já está oferecendo à comunidade duas oficinas, uma de cerâmica à mão livre, e outra de confecção de máscaras de carnaval. Através de parceria firmada com a União de Moradores do Centro Histórico de São Luís, visando a realização conjunta de ações culturais envolvendo o espaço da galeria de arte e a comunidade dos bairros da Praia Grande, Desterro e Portinho, as oficinas serão gratuitas e destinadas a crianças e a jovens.

Segundo o presidente da União de Moradores, Denis Cutrim, “esta é a primeira vez que fomos convidados para participar de atividade cultural desta galeria, e acho isso muito importante; a iniciativa é positiva, e iremos colaborar no que for possível para que esta parceria se consolide”. Na última sexta-feira à tarde, dia 25, foi oferecida pela Galeria Trapiche, gratuitamente, uma oficina de cerâmica à mão livre, ministrada pelo artista plástico Wiran de Oliveira, a crianças especiais, do Centro de Ensino Helena Antipoff, espaço que funciona desde 1982 e que atende alunos com necessidades educacionais a partir de 15 anos de idade, oriundos das classes especiais, que não se enquadram numa sala de aula regular. No Centro, os alunos exercitam a pré-profissionalização, por meio de oficinas pedagógicas, visando a inserção no mercado de trabalho, ampliando assim a possibilidade de inclusão social dos mesmos. O Centro de Ensino fica na rua Domingos Olímpio, qd S, no Ipase (fone: 32463908).

Na tarde de segunda-feira, dia 28 de janeiro, teve início a oficina de máscaras carnavalescas, à base de papel e balão. Serão confeccionadas máscaras tradicionais do carnaval maranhense, usadas, sobretudo, pelos fofões. “Vamos estimular a identidade cultural maranhense, trabalhando o imaginário desses jovens através do contato com as máscaras de personagens como o fofão, despertando nos jovens o sentimento de pertencimento cultural, sempre tendo em vista a inclusão social”, informa o diretor da Galeria Trapiche, o jornalista e escritor Paulo Melo Sousa.

A primeira oficina de confecção de máscaras será de 28 a 31 de janeiro, e a segunda, de 4 a 7 de fevereiro, das 14 às 17 horas. As inscrições para as oficinas, gratuitas, que serão ministradas pelos artistas plásticos Romana Maria e Wiran de Oliveira, podem ser feitas na Galeria de Arte Trapiche Santo Ângelo (avenida Vitorino Freire, s/nº – Praia Grande), que se localiza defronte do Circo da Cidade (montado ao lado do Terminal de Integração). Todos os contatos necessários à viabilidade da Galeria Trapiche podem e devem ser feitos, e nós iremos apoiar as iniciativas da galeria, já que se trata de uma unidade da Func que tem grande potencial junto aos artistas e à comunidade”, diz o presidente da FUNC, Francisco Gonçalves.

As oficinas têm o apoio de empresários que atuam na área do Centro Histórico de São Luís: Hotel Pousada Colonial, Natus Arts – Artesanato (Beco da Pacotilha, 37), Banca de Revistas Praia Grande (Dácio Borges), Turma do Vandico e Livraria Poeme-se.

Fonte: funcsl.wordpress.comt